sábado, novembro 17, 2018

Noites longas...



 
Há muito que já não seguia este caminho, que me leva ao lugar mais fundo das minhas memórias.
Retorno atrás no tempo, onde a vida parecia mais simples. Onde a minha principal preocupação, era o anseio de estar contigo a cada amanhecer.
De te poder ver a sorrir de longe enquanto te aproximavas, de te abraçar sem sequer falar, de te dar a mão seguir caminho contigo.
 Dou por mim tantas vezes a olhar-me ao espelho. Vejo as transformações no meu rosto, mas não consigo imaginar como serias, hoje, se aqui estivesses. Continuas a estar na minha memória como no dia em que te conheci, de sorriso luminoso, olhos brilhantes, cabelos soltos e o olhar e a expressão mais terna que vi e pela qual me apaixonei.
Sei que sabes que segui a minha vida da melhor forma que consegui. Sei que sabes que tentei tantas vezes esquecer-te. Deus sabe como tentei. Mas com o tempo, fui me habituado e se por alguma razão não consegui, acredito hoje, que certamente existe um motivo.
 Mudei, fui-me moldando aos obstáculos, derrotas, ás vitórias e conquistas.
 Realizei alguns planos e sonhos que partilhamos juntos. Lamentei muitas vezes não os ter realizado contigo, mas acredito que nestas circunstancias, tu quererias que o fizesse na mesma. Evito por tudo, fazer este caminho, mas tenho que o fazer quando as noites se tornam longas, quase tão longas como quando partiste. Noites em que a única maneira que tinha para falar contigo, era aqui, neste refugio onde derramei tantas magoas, onde deixei tantas perguntas que ficaram para sempre sem resposta. Foi a única maneira que encontrei de seguir em frente, de lavar a alma do sofrimento e da dor.
Hoje é difícil explicar o que me inquieta, o que me traz aqui de novo, que me leva a fazer este caminho que pensava não voltar a percorrer. Certamente existe um motivo.
Sabes que penso em ti praticamente todos os dias por muito que breve que seja o momento, mas às vezes,…. às vezes não me sais da cabeça, as noites são sempre o mais difícil de suportar. É quando sinto que tenho que vir aqui falar contigo, como se te escrevesse uma carta que sei que irias receber e ler, mas para a qual sei que nunca obterei resposta, mesmo assim, escrevo-te com as saudades do costume nas noites longas.

segunda-feira, outubro 03, 2016

Hei-de Amar-te a Vida Inteira

 


- Hoje quero dar-te o sol...

- Dá-me então a lua cheia,
 debruçada em ondas mansas
 que se estendem pela areia

  Hoje quero ser a chuva...

- Pois então eu sou a terra
  que o meu corpo é todo um fogo
  em resposta à primavera...

- Hoje, quero ser o vento
  num poema deslumbrado,
  e mostrar-te sem ter medo,
  porque estou sempre, ao teu lado

- Hoje quero dar-te tudo,
  de uma vez e para sempre,
  quero ser como um guerreiro,
  que a ti se entrega, simplesmente.

  Hoje quero ouvir-te os sonhos,
  sós,
  à luz de uma candeia.
  Hoje quero ter o tempo
  de te amar a vida inteira...

- E só por isso dou-te a mão,
  e com ela este recado,
  meu amor a eternidade....

  São os momentos lado a lado

( Rodrigo Serrão )

quarta-feira, setembro 07, 2016

" mudez"

Resultado de imagem para coração

Não sou cobarde,
apenas tímido
e quando os sentimentos são verdade
as palavras surgem muito devagarinho.

Falo com o coração
gravo nele aquilo que sinto.

Nunca duvides dos meus sentimentos
nem das palavras que não ouves
Eles existem, onde devem estar
no cofre mais sincero e seguro que conheço
onde muito poucos conseguem lá chegar.

sexta-feira, julho 08, 2016

Quando...



Quando me sinto só
gosto de estar junto ao mar
a ouvi-lo, e olhar o horizonte.
Sentir o vento levemente
a bater-me no rosto e o cheiro fresco
dos aromas que a maresia me tráz.

Quando penso que alguém especial
está junto de mim
sinto o apaixonar desse momento.

Quando no dia a dia
vejo o sonho passar-me ao lado
gosto de pensar que um dia será real.

E simplesmente
para complementar essas emoções...

Falta uma presença...

quinta-feira, junho 02, 2016

Metade de mim....


Resultado de imagem para metadeQue a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
A outra metade é silêncio

Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Pois metade de mim é partida
A outra metade é saudade

Que as palavras que falo
Não sejam ouvidas como prece nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas como a única coisa
Que resta a um homem inundado de sentimentos
Pois metade de mim é o que ouço
A outra metade é o que calo

Que a minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que mereço
Que a tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que penso
A outra metade um vulcão

Que o medo da solidão se afaste
E o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
Que o espelho reflita meu rosto num doce sorriso
Que me lembro de ter dado na infância
Pois metade de mim é a lembrança do que fui
A outra metade, eu não sei

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
Pra me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Pois metade de mim é abrigo
A outra metade é cansaço

Que a arte me aponte uma resposta
Mesmo que ela mesma não saiba
E que ninguém a tente complicar
Pois é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
Pois metade de mim é plateia
A outra metade é canção

Que a minha loucura seja perdoada
Pois metade de mim é amor
E a outra metade..... também.

(Osvaldo Montenegro)

quinta-feira, maio 12, 2016

Lembro-me...

Lembro-me de um dia frio de Fevereiro.
Lembro-me da tua expressão terna, sorridente e do teu rosto que as rujas foram talhando pelo peso voraz do tempo no acumular dos anos.

Lembro-me como gostava de ficar no teu colo a ouvir as tuas velhas historias do antigamente, historias tantas vezes contadas na primeira pessoa retratando algumas das tuas vivencias de rapariga e de outros tempos.
Lembro-me do teu sorriso e dos teus olhos pequenos e brilhantes. Lembro-me de tudo o que me ensinaste. Sabes, vou sentir muito a tua falta. Eu sei que não podias viver para sempre, sei que eu não vou viver para sempre, ninguém vive para sempre, mas tu vives, na minha memória e no meu coração, e quando tiver que tomar uma decisão que de certa forma seja importante na minha vida, pensarei nas palavras que me dirias se estivesses aqui e ouvirei os teus conselhos como dantes.

Sentirei falta das tuas histórias
e da tua sabedoria
mas estarás sempre nas minhas memórias
com o teu sorriso, a tua força e alegria

Felizmente, tive tempo de crescer
para também te contar histórias
Partilhar contigo alguns dos meus objetivos
e algumas das minhas vitórias.

O meu amor por ti nunca morrerá
em tempos eu era o teu anjo
agora és tu o meu
o meu anjo no céu


(para a minha Madrinha, Maria, 25-12-1931 a 28-02-2016)

quarta-feira, janeiro 27, 2016

Cinzento



Hoje...sou cinzento
 de um tom claro, quase transparente
gélido, frio
Sou como o vento
que passa indiferente
pelo meio do nada, no vazio.


Vejo tudo à volta
mas hoje ninguém me vê
vagueio como uma folha caída
à deriva, à solta
em busca , não sei do quê
sem rumo perdida.

Apenas um pensamento
me acompanha no meu caminho
na minha campanha.
Não gosto de ser cinzento.
Que cor me reserva o destino?
Serei cinzento amanha?